Como a China está usando inteligência artificial nas salas de aula

A Evolução da Educação na Era da Inteligência Artificial

Uma escola primária na China que está mudando o jogo no que diz respeito à tecnologia na sala de aula. Eles não apenas sabem quando alguém não está prestando atenção, como também utilizam uma tecnologia que mede o nível de concentração dos estudantes. E não para por aí, as informações são enviadas diretamente para o computador do professor e para os pais. Sim, os pais também são informados!

A China tem grandes planos para se tornar líder global em inteligência artificial. Isso inclui uma economia sem dinheiro físico, onde as pessoas fazem compras com o rosto, uma vasta rede de câmeras de vigilância com reconhecimento facial auxilia a polícia a monitorar os cidadãos. Em algumas escolas, o futuro da educação de alta tecnologia no país já pode ser visto.

Leia mais…

A Educação de Alta Tecnologia na China

Nestas escolas futurísticas, a sala de aula tem robôs que analisam a saúde e o nível de envolvimento dos alunos. Os alunos usam uniformes com chips que rastreiam suas localizações. Há até mesmo câmeras de vigilância que monitoram a frequência com que os alunos verificam seus celulares ou bocejam durante as aulas. As escolas afirmam que foi fácil conseguir o consentimento dos pais para inscrever os filhos em um dos maiores experimentos mundiais de educação em IA, um programa que tem o objetivo de melhorar as notas dos alunos enquanto alimenta algoritmos poderosos.

Um Dia na Escola do Futuro

Tivemos acesso exclusivo a uma escola primária a algumas horas de Xangai. Para a turma do quinto ano, o dia começa colocando um gadget que detecta ondas cerebrais. Os alunos praticam meditação. O dispositivo, fabricado na China, tem três eletrodos: dois atrás das orelhas e um na testa. Esses sensores captam os sinais elétricos enviados pelos neurônios no cérebro. Os dados neurais são então enviados em tempo real para o computador do professor. Portanto, enquanto os alunos resolvem problemas de matemática, o professor pode rapidamente descobrir quem está prestando atenção e quem não está.

A Tecnologia e Seus Desafios

Apesar da possibilidade de leituras falsas, os professores disseram que as faixas de cabeça forçaram os alunos a se tornarem mais disciplinados. Os professores afirmam que os alunos agora prestam mais atenção durante as aulas, o que os faz estudar mais e obter notas mais altas. No entanto, nem todos os alunos são tão entusiasmados. Alguns relataram que seus pais os punem por baixas pontuações de atenção, adicionando um novo tipo de pressão para os estudantes.

A Privacidade em Questão

As empresas entrevistadas disseram que os dados podem ir para projetos de pesquisa financiados pelo governo. Conversamos com pais que não tinham clareza sobre onde os dados terminavam e eles não pareciam se importar muito. Especialistas e cidadãos estão soando o alarme sobre vários aspectos do enorme investimento do país em inteligência artificial. Os dados dos estudantes, incluindo suas concentrações e comportamentos em sala de aula, estão sendo coletados sem nenhuma proteção de privacidade aparente.

A Educação do Futuro: Benefício ou Risco?

Estas salas de aula são verdadeiros laboratórios para as futuras gerações. Embora essas novas ferramentas possam potencialmente ajudar cerca de 200 milhões de estudantes a melhorar suas notas, como isso realmente funcionará não será evidente até que se tornem cidadãos adultos.

Vale ressaltar que esta é uma tecnologia nova e ainda há muito pouca pesquisa por trás dela. Muitos questionam se os gadgets realmente funcionam e o que eles exatamente medem. Um dos nossos repórteres experimentou o dispositivo e a percepção de como a concentração é medida ainda não é clara.

O Papel da Inteligência Artificial na Educação

A inteligência artificial tem potencial para transformar a educação, tornando o ensino mais personalizado e eficiente. Contudo, também devemos estar atentos às questões éticas e de privacidade envolvidas. Afinal, até que ponto estamos dispostos a sacrificar a privacidade dos nossos filhos em nome de uma educação mais eficiente?

O fato é que a China está despejando bilhões de dólares nesse projeto, unindo gigantes da tecnologia, startups e escolas. A esperança é que a IA possa auxiliar a aumentar a eficiência e eficácia do ensino, mas isso vem com o custo da privacidade e, possivelmente, de um novo tipo de pressão sobre os alunos.

A questão de como a tecnologia e a inteligência artificial se integrarão ao nosso sistema educacional no futuro é complexa e multifacetada. O caso chinês serve como um lembrete do potencial e dos perigos que a IA pode trazer para a educação. É uma conversa que precisamos ter agora, antes que seja tarde demais.

Marcos Oliveira

Marcos Oliveira

Marcos Oliveira é um especialista em criação de conteúdo digital e marketing, com um interesse especial em inteligência artificial. Com vasta experiência na indústria, ele já trabalhou com várias marcas de renome, ajudando-as a estabelecer uma presença online sólida. Como autor de destaque em nosso site, Marcos possui um conhecimento profundo das últimas tendências e desenvolvimentos na área digital, incluindo estratégias de SEO e marketing de conteúdo. Com sua expertise e autoridade, Marcos garante que seus leitores obtenham informações precisas e atualizadas sobre o mundo digital. Além disso, ele sempre se esforça para fornecer uma visão aprofundada e analítica dos assuntos abordados em seus artigos, enriquecendo o conteúdo e agregando valor para o leitor.

Notícias Relacionadas

Categorias

Redes Sociais